Impressões: a noite de 30 de Setembro.

Como era de esperar, perante a última noite de Agosto no BB e a noite ocorrida em Praga, o som seguiu novamente uma certa linha esquizoide com lógica marada, muito relacionada com as pessoas e clientela peculiar que o Bar do Bairro tem cada vez mais. A palavra chave para mim é divertimento. As pessoas lá são divertidas e ponto final. Junte-se a isso a minha postura sempre bem disposta e acaba por haver a dada altura uma certa química mutua, juntando-se à minha habitual cena de aceitar sempre pedidos desde que tenha lá as músicas ou as coisas tenham a ver com a noite que se está a fazer. Ontem foi sem dúvida a noite de INXS e Placebo nesse sentido lol.

Outra cena que dá para ver após o final de mais uma noite, e que já era notória, é a linha sonora estar cada vez mais na onda da variedade e afastamento inconsciente de uma certa linha que se pode chamar de rock alternativo, indie ou wtv, de certas bandas recentes. Como tal, apesar de ter lá os CDs e gostar das bandas, é engraçado como nenhuma faixa de Interpol, Strokes, Editors ou White Rose Movement por exemplo, foram tocadas nesta noite.

Apesar de ser algo muito inconsciente, no fundo tem alguma relação com haver uma vaga notória de cada vez mais pessoal estar a meter som nessa linha, complementando-se com as pessoas que estiveram no BB nesta noite terem começado a pedir coisas como os clássicos Psychedelic Furs. Ou seja, em vários aspectos nesta noite meteu-se foi bandas que influenciaram as tais bandas novas e onde elas foram buscar muito do seu som, misturadas com outras cenas novas. Em muitos aspectos fico contente porque possibilita uma aposta contínua de som variado, e também porque se fica longe de algumas tendências que podem acontecer, como só passar-se bandas recentes, ou só apostar-se em novidades e por aí adiante. O equilíbrio de cada noite acaba por ser sempre marado, mas felizmente que por agora a variedade tem-se mantido e não temos uma cena de 8 ou 80 a nível de apostas sonoras. Desfrutar do presente sem nunca esquecer o passado como costumo dizer 😛

Por fim, é sempre giro ver pessoas a cantar a Vaca de Fogo dos Madredeus em voz alta e pedir para aumentar-se o som nessa altura, numa sequência que vinha colada a uma das fases electrónicas da noite. Surreal em todos os sentidos, tanto do meu lado em continuar a apostar nessas abordagens meio estranhas que me dá não sei lá muito bem porquê no momento, como ver essa reacção das pessoas nos tempos que correm. Provavelmente ya, é como disse há pouco noutro post antes deste, que isso só é possível porque é o BB, e muitas pessoas olham de certeza de lado quando são essas alturas, mas não deixam de ser momentos giros na mesma. 🙂

Algo que também começa a ser notório é a minha contínua pica em fazer cenas como isto das noites de músicas e outras como o desejo de voltar-se a algo relacionado com recitais, entre outros. Mas no que toca a isto da música é curioso. Já lá vão alguns anos e já não sou nenhum puto bla bla, mas a pica mantém-se, a ideia também, nunca relacionada com fins monetário diga-se de passagem mais uma vez, e mesmo após as 5 da manha eu ainda estava naquela de continuar e só me apetecia ir logo a seguir fazer o mesmo algures. Talvez seja o tal sinal que chegou a hora de me mexer mais do que até agora nesta área, com Praga a ter sido um óbvio sinal de querer seguir esse caminho. Não só pela aventura que é uma pessoa ir assim sozinho para um país estrangeiro de férias e para meter música, mas também porque nunca tinha mexido com o equipamento que lá tinham e fiz na mesma o que costumo fazer sem problemas nenhuns após a tal decisão de começar-se eu a noite lá. Isto porque sinto que não chega só querermos fazer algo e chegar a alguém e dizermos isso, há que ter-se a consciência de saber se somos capazes ou não e sentir se chegou a hora para dar certos passos. Isso começou após certa cirurgia que tive de sofrer há uns meses, onde depois dela muita coisa mudou a nível da minha atitude, ficando ainda mais bem disposto, e com mudanças substanciais a ocorrerem na mala de CDs no processo também. Como tal Praga foi a evolução lógica nesse sentido, mas com o Bar do Bairro a ter muito peso em todo o processo. Sem o Bar do Bairro nada disto seria possível no fundo, sem as pessoas de lá, sem as reacções delas, sem as noites de lá onde nos deixamos ir pelo momento e se testam muitas ideias.

Enfim, foi mais uma boa noite no BB heheh, e adorei lá estar como habitualmente, restando-me agradecer a quem lá esteve, thx!. Playlist da noite será metida daqui a pouco.

“It’s just a trick of the light”

🙂

Advertisements

~ by Azelpds on October 1, 2006.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s